abolidor:

☯

abolidor:

Um especialista em ser deixado pra trás.
A Menina Que Roubava Livros. (via acrescentada)
acquarios:

E amor

acquarios:

E amor

Bom mesmo era adormecer em seus braços, quando tudo se reduzia só a nós dois, sem nada pra atrapalhar ou desandar o relacionamento. Bom mesmo era quando eu era o seu porto seguro e que no seu olhar era possível enxergar a imensidão do teu amor mas também do medo de perder, era bom quando nos agarrávamos um no outro pra transmitir segurança e dizer na linguagem corporal o quanto nos precisávamos. Bom mesmo eram os sorrisos involuntários pro celular por causa de uma mensagem, eram as madrugadas em claro jogando conversa fora e falando do futuro. Bom mesmo era nós dois. Bom mesmo era quando eu tinha você só pra mim e eu só pra você.
Want U Back. (via meio-sorrisos)
abolidor:

☯

abolidor:

Meu coração dói de um jeito amoroso por você. É uma vontade em excesso de estar perto, só perto. Vontade, carinho, saudade, tesão, compaixão, amor. Tudo junto e apertado aqui dentro.
Clarissa Corrêa.  (via acrescentada)

"When they broke up in 93 he wasn’t acting like Johnny anymore.. It’s almost like Winona took Johnny’s soul, Johnny’s love." - Tim Burton

"When they broke up in 93 he wasn’t acting like Johnny anymore.. It’s almost like Winona took Johnny’s soul, Johnny’s love." - Tim Burton

abolidor:

☯

abolidor:

Eu fui guardando comigo, na minha parte mais serena, cada gesto seu. Desde cada movimento dos lábios, ao fechar dos seus olhos. Fui excluindo as partes ruins, porque apesar de todas elas eu quero ficar com você. Eu quero ficar com você. Costumo dizer isso baixo, pra você ouvir no silêncio da sua calma. Sua vóz e seu olhar, me deram paz em todos os momentos em que eu te dei a mão. E em todos os momentos fomos nos encaixando, apesar dos pesares que nos empurravam pra baixo. Há mais entre nós do que qualquer um possa imaginar, e eu por outro lado me imagino atropelando os porquês, pra poder chegar em você, correr pra você, sentir você e viver com você. Eu decorei o formato das covinhas das suas bochechas, o desenho das suas costas e quanto tempo você demora pra se arrumar. Decorei todos os mínimos detalhes, sem esforço algum. Dos incríveis aos sórdidos, sem ao menos usar sinônimos, ou mesmo ter boas referências sobre isso. Eu coloquei mais reticências onde se encaixava um ponto final. Troquei as vírgulas de lugar porque eu sempre soube, que você era a minha interrogação.Você sempre anunciou o que estava sentindo, e sempre deu risada do meu jeito estranho de rir. E eu não entendia. Nunca entendi. O real e concreto motivo, pelo qual todas as pessoas tornavam-se entediantes perto de você. Ou o porquê de você me lembrar de longe, uma sexta-feira a noite.
Flávia de Oliveira (via oxigenio-dapalavra)
Sabe o que cairia bem em você?” “Stubb se você me disser que você cairia bem em mim, eu juro que desisto de você.” “Eu não cairia bem, cairia ótimo. Combino com você.” “O que? Você tá me zoando, né? Você não combinaria comigo nem se você quisesse muito.” “Claro que eu combino contigo. Eu sou um idiota, tu não é muito diferente disso.” “Você é bem idiota, bem mesmo.” “Sou idiota porque continuo contigo? Concordo.” “Não. Você é idiota porque é. Sério, eu mereço coisa melhor.” “Tu é tão teimosa, que não consegue nem aceitar o que tu gosta. Sabe que não vai me largar, mas teima em achar que consegue. Tá vendo como a gente combina? Eu tenho atitudes imbecis, e você tem pensamentos babacas.” “Sua sinceridade é comovente. O que você não entende é que as vezes você me cansa. E cansa muito. Você é uma porcaria, Stubb. Daquelas que fazem mal pra saúde. Você pode ter certeza que tá longe de ser coisa boa.” “Já você, é boa até demais. Você é toda chata, toda nhenhenhe. Tu é toda não-me-toque, e eu nunca gostei disso. Se fosse algum amigo meu gostando de você, eu com certeza diria que ele tem um péssimo gosto. Na verdade, falo isso pra mim todo dia. Mas nunca me escuto. E acho que pior do que você, só eu. Porque continuo no teu pé.” “E você acha mesmo que é uma pessoa fácil de lidar? Você é a pessoa mais ogra do mundo. Tudo o que você sente você esconde. Você é um otário, Stubb. Me perde todos os dias. O problema é que depois você me ganha de novo. É tipo, sei lá. Um ciclo vicioso.” “Que você gosta.” “Quem disse? Eu odeio tudo que vem de você. Só não te odeio porque sou idiota. Porque tenho todos os motivos pra te odiar e nunca mais olhar na sua cara. Mas é que… Sei lá. É complicado abrir mão de você.” “É complicado porque a gente combina, cara. Tu sabe que eu tenho todos os motivos pra te largar de mão. Tu sabe que faz coisa errada, que tá sempre cercada de gente. Mas é que, porra, sou dependente de você pra caralho. E odeio isso na mesma intensidade.” “Você é um completo idiota.” “Nem preciso dizer porque a gente combina, né?
Robin and Stubb.  (via acrescentada)
>